Margaret Maguire

Gestora de projetos

Margaret Maguire é gestora de projetos no BanyanGlobal. Ela apoia o COO no planejamento de desenvolvimento operacional da empresa e trabalha em vários projetos de clientes.

Antes de ingressar na Banyan, Margaret trabalhou como gerente de projetos para desenvolvimento de estratégias de programas online na Simmons University. Nessa função, ela gerenciou o lançamento do programa de graduação online da Simmons, focado em abrir as portas para mulheres de diversas origens concluírem o bacharelado. Na Simmons, Margaret trabalhou em estreita colaboração com a liderança da Universidade e serviu como instrutora e revisora do conteúdo curricular do Seminário do Primeiro Ano, um curso projetado para o desenvolvimento das habilidades de carreira das mulheres com foco na diversidade, equidade e pedagogia da inclusão.

Antes de trabalhar com gerenciamento de projetos, Margaret trabalhou no campo da educação global por 7 anos, alimentada por seu interesse em aprendizagem experiencial e compromisso com a expansão do conhecimento na diversidade cultural. Como Diretora Assistente de Educação Global da Simmons, ela aconselhou estudantes internacionais F-1 e supervisionou a governança de 32 universidades parceiras globais. “Ao construir parcerias com universidades e famílias em todo o mundo, passei a compreender a importância de promover relacionamentos construídos sobre comunicação clara e confiança.”

Ela também trabalhou no Boston College High School como gerente de programa e eventual diretora assistente do Global Education Center. Essas funções forneceram uma base para a experiência em desenvolvimento de parcerias, operações, gerenciamento de eventos e comunicação intercultural.

Margaret recebeu seu BA no Providence College e seu M.Ed. em Liderança Educacional pelo Boston College. Ela atualmente mora em Charlestown com sua noiva e gosta de correr, cozinhar e passar o tempo com a família e amigos. Uma ávida exploradora, ela já fez caminhadas por toda parte, incluindo partes da Grande Muralha, o Parque Nacional Fiordland da Nova Zelândia e a Salkantay Trek para Machu Picchu. “Espero continuar a viajar”, disse ela, “através das viagens, percebi como somos diferentes; mas, mais importante, o quanto temos em comum em todo o mundo. É uma lição profunda. ”